Terça, 03 de Agosto de 2021 14:26
43 9 9937 4574
Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados

Comissão discute na quinta-feira possível vazamento de dados do INSS

Repasse de R$ 4 bilhões da União para estados e municípios, aprovado pela Câmara em agosto, acabou integralmente vetado

18/06/2021 13h20
Por: Carlos Roberto Francisquini Fonte: Agência Câmara de Notícias
Presidente do INSS vai falar aos deputados sobre possível vazamento de dados - (Foto: Pedro França/Agência Senado)
Presidente do INSS vai falar aos deputados sobre possível vazamento de dados - (Foto: Pedro França/Agência Senado)

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados promove na próxima quinta-feira (24) audiência pública para discutir o  possível vazamento de informações do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O autor do requerimento, deputado Elias Vaz (PSB-GO), aponta a ausência de medidas de fiscalização, por parte do Banco Central do Brasil, e indícios de irregularidades nos empréstimos consignados.

Segundo ele, milhares de aposentados e de pensionistas estão recebendo depósitos sem nunca terem pedido o dinheiro e estão sendo descontados, enquanto o dinheiro não volta para o banco. Vaz cita bancos condenados pela Justiça a devolver em dobro o valor por empréstimo consignado não solicitado.

"Existem casos de recém-aposentados, que ainda nem sabiam que o processo de aposentadoria já estava concluído, e receberam consignados em suas contas, sendo inclusive informados da sua aposentadoria pelo banco", relata o deputado.

"Esse tipo de informação, que deveria ser tratada como dados pessoais sigilosos, tem vazado para esses bancos, quando deviam estar protegidas no INSS, que não tem efetuado medidas eficazes para proteger o segurado", aponta.

A reunião acontece no plenário 11, às 9 horas.

Foram convidados:

  • o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney Menezes Ferreira;
  • o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo José Rolim Guimarães (confirmado);
  • o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, Pedro Aurélio de Queiroz Pereira da Silva (confirmado);
  • o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias