Sábado, 25 de Setembro de 2021 01:19
43 9 9937 4574
INSIDE Rockstar

Rafael Moreira: Talento Made In Brazil

Rockstar brasileiro, nascido em Cambará, fala da carreira em Hollywood

10/07/2015 13h38 Atualizada há 6 anos
Por: Carlos Roberto Francisquini
Rafael Moreira: Talento Made In Brazil

 

 

 

Da redação

Maristela Misquevis


 

O Rockstar Rafael Moreira concedeu entrevista exclusiva, via internet, a Maristela Misquevis, do Circulandoaqui. O músico, nascido em Cambará, é considerado por gente de peso no assunto, como um dos maiores guitarristas da atualidade.

Diretamente de Hollywood – Califórnia – EUA, o artista deu um tempo na sua agenda de compromissos para atender a nossa reportagem. De lá, descreveu fatos curiosos sobre o dia-dia de um Rockstar.  

Rafa Moreira falou da experiência e da responsabilidade de ser o guitarrista principal do The Voice e do American Idol. 

Falou de surf, do encontro com os Stones e das turnês com Paul Stanley, do Kiss, e relembrou coisas dos tempos em que vivia no Brasil.

Acompanhe alguns trechos da entrevista.

 

Circulando: Guitarrista oficial de dois dos programas de maior audiência nos Estados Unidos, o American Idol e the Voice. Qual a sua opinião sobre os programas?

Rafael Moreira: Eu fiz duas temporadas como Guitarrista principal do The Voice, e nas últimas temporadas do American Idol, em 2014 e 2015, eu fiz como convidado (apesar de já ter tido uma participação em 2009). São programas um pouco diferentes, mas com a mesma finalidade. Infelizmente, eu não tenho muito tempo para assisti-los.

 

Circulando: Quais foram os caminhos que te levaram a se apresentar na televisão?

Rafael Moreira: Acho que tudo isso é resultado de um longo trabalho como Guitarrista aqui no EUA. Meu primeiro show na TV Americana foi o “Saturday Night Live” tocando com a Christina Aguilera e o ator convidado foi o Christopher Walken. Depois disso eu fiz centenas de participações em programas de TV Americanos tipo “Talk Show" com a própria Christina Aguilera, Pink, Steven Tyler (Aerosmith), Marc Anthony e muitos outros. Mas o que me colocou no mapa dos Shows de “Reality TV” foi o Rockstar, na CBS. Foram duas temporadas, a primeira com o INXS e a segunda com Supernova (Tommy Lee, Jason Newsted e Gilby Clarke). 

 

Circulando: Qual a sua relação com os jurados?  

 

Rafael Moreira: Trocamos uma idéia de vez em quando, o Keith Urban e o Harry Connick Jr. são caras legais e bons músicos, eles sempre elogiam meu som e a minha habilidade em tocar Guitarra.

 

Circulando: Já se identificou com algum participante?

 

Rafael Moreira: Sempre tem alguém com muito talento que se sobressai. Foi ótimo ter tocado com o Caleb Johnson que ganhou o American Idol do ano passado, o cara canta Rock como poucos!

 

Circulando: Tem algum fato especial?

 

Rafael Moreira: Quando eu estava tocando no The Voice aqui nos EUA, teve um calouro que não passou pelas audições "a cega", quer dizer nenhum dos Jurados, incluindo Adam Levine, Blake Shelton, Usher e Shakira apertaram o botão de suas cadeiras para ele. Eu achei aquilo um absurdo, pois achei que o rapaz tinha talento e cantava muito bem. Depois de sua audição eu fui dar uma força para ele, pois achei que ele foi, de alguma forma, injustiçado. Eu disse para ele para não se preocupar que ele cantou muito bem e que nunca desistisse de seus sonhos. Depois disso ele se inscreveu no The Voice do Brasil e ganhou o show, o nome dele é

Sam Alves.

 

Circulando: Você teve a oportunidade de tocar com um Kiss, de solar com um de seus ídolos, como Paul Stanley, o que passou em sua cabeça naquele momento?

 

Rafael Moreira: Eu fiz duas turnês com o Paul Stanley e gravamos um DVD, para ser mais especifico. Recentemente tenho feito alguns shows com ele também. É sempre bom tocar com pessoas que você admira!

 

Circulando: Foi o momento mais o importante da sua carreira?

Rafael Moreira: Com certeza foi um deles.

 

Circulando: Você é citado, por gente de peso no assunto, como um dos maiores guitarristas do mundo na atualidade. O que pensa sobre isso?

Rafael Moreira: Fico honrado com isso, mas é coisa de opinião e todos podem ter o seu espaço!

 

 

Circulando: Quando ainda tocava em Cambará, almejava chegar aonde chegou?

Rafael Moreira: Sim e até mais longe.

 

Circulando: Rolou na internet algumas fotos suas com os integrantes dos Rolling Stones e, em uma delas, Keith Richards abraçava você e parecia te dizer algo, o que ele te falou?

Rafael Moreira: Tipo coisa de mentor mesmo, herói, amigo guitarrista!

 

Circulando: Por falar nos Stones, eles são lendas do rock. Como foi o contato com os caras?

Rafael Moreira: Foi ótimo, sou fã até hoje, isso nunca vai mudar.

 

Circulando: Como pude ver em suas fotos, você aparece em muitas delas surfando em praias famosas e convidativas. Ao que parece, além das guitarras e do Palmeiras, o surfe também é uma de suas paixões?

Rafael Moreira: Sim, eu comecei a surfar com 11 anos de idade em Pontal do Sul, Paraná, mas morava no interior e não tinha como praticar. Assim que me mudei para Los Angeles, esse esporte virou hábito na minha vida.

 

Circulando: O que achou do Medina no topo do mundo do Surf?

Rafael Moreira: Sensacional, precisamos dar valor ao que é nosso.

 

Circulando: E sobre romances? Já teve algum nos bastidores da música?  Alguma fã já fez alguma maluquice? 

Rafael Moreira: O que você acha?? São muitas histórias, quem sabe eu lanço um livro um dia para contar algumas.

 

Circulando: E por falar em romance, como anda o coração?

Rafael Moreira: O coração anda tranquilo, nada muito sério no momento.

 

Circulando: Você é reconhecido nas ruas em Los Angeles? Como é a rotina de um rockstar por aí?

Rafael Moreira: Às vezes sim, e acho isso super normal. Aqui em Los Angeles é muito comum ver celebridades nas ruas, bares e restaurantes.

 

Circulando: Quais os seus hobbies?

Rafael Moreira: Apesar da música ser meu trabalho, ela também é um hobby! Adoro fazer “jams” com os amigos e bons músicos aqui em casa. Tocar violão e cantar, tocar baixo, bateria e, claro, a guitarra elétrica. O Surfe, como citei também, é um hobby e, além disso, também jogo futebol, tênis de mesa (ping pong), faço yoga e caminhada pelas montanhas. Ah, e não posso esquecer! Adoro desenhar, fazer caricaturas e temas surrealistas.

 

Circulando: Em suas entrevistas você invariavelmente cita Cambará, sua cidade natal. Ainda mantém contato com seus amigos por aqui? Algum deles já te prestigiou em algum evento aí?

Rafael Moreira: Mantenho contato com a minha família e é sempre bom rever os amigos de antigamente. Tem um amigo de Cambará que vive perto de Nova York, o nome dele é Andre Menossi. Ele foi me ver tocar com o Paul Stanley e com a Pink.

Meus Pais e a minha Irmã também me prestigiaram em um dos meus shows com a Pink em Nova York.

Irmãos Moreira na Escola Japonesa em 1986! Benedito Moreira "Neto" na Bateria, Leandro Cury Moreira no Baixo e Rafael Moreira nos Vocais e Guitarra


 

 

Circulando: Tem algum fato marcante que te faz lembrar dos bons tempos em que tocava em Cambará e região?

Rafael Moreira: Sim os festivais de Rock no antigo cinema. Bons tempos aqueles em que na cidade existia um cinema, clube de futebol e Rock And Roll.

 

Circulando: Sobre o cenário político brasileiro, você tem acompanhado as notícias, qual a repercussão aí?

Rafael Moreira: Acompanho bem pouco, mas as notícias realmente não são boas.

 

Circulando: O que te dizem sobre a imagem do Brasil em meio à crise política e os escândalos atuais?

Rafael Moreira: Não me dizem nada, os problemas são muito claros para quem pode enxergar de fora. 

 

Circulando: Sua ligação com a família é, evidentemente muito forte. O que seus pais representam pra você?

Rafael Moreira: A minha Família sempre foi muito importante para mim, meus pais são a minha referência.

 

Circulando: Seu pai celebrou idade nova, dia destes, e você postou uma bonita mensagem sobre o cara. O que pode falar do seu Benê?

Rafael Moreira: Meu Pai sempre foi muito querido por todos, é um cara muito bom e eu tenho orgulho dele!

 

Circulando: Você esteve no Brasil recentemente, uma delas se apresentou com os New Kids On The Block e em uma outra ocasião no Mineirão abrindo a final Copa Libertadores da América. Pode descrever as duas experiências?  

Rafael Moreira: Foram experiências diferentes e importantes na minha carreira, afinal não é todo dia que você é convidado para tocar em uma final da Libertadores da América no seu país para mais de 60 mil pessoas, mas em termos de organização poderia ter sido muito melhor. Já a experiência de ter tocado com o New Kids On The Block no Brasil foi interessante, apesar de eu não conhecer muito a música deles. Sou um profissional que sempre tenta fazer o melhor. 

 

Circulando: Quando teremos uma exibição exclusiva do Magnético em terras brasileiras? 

Rafael Moreira: Já fiz Shows com o Magnético em São Paulo em 2011, gostaria muito de tocar no Brasil de novo. Tenho certeza que os próximos shows acontecerão na hora certa! 

 

Circulando: Tem pretensão de voltar a morar no Brasil um dia?

Rafael Moreira: Quem sabe, um dia! 

Créditos Fotos

Kathy Flynn

Tamea

Gilad Koriski.

 

 


* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias