Segunda, 20 de Setembro de 2021 17:52
43 9 9937 4574
BELLA GENTE Especial

Hildo Duarte: “Com fé, trabalho e um sorriso nos lábios se consegue tudo o que se deseja”

30/09/2019 11h26
Por: Carlos Roberto Francisquini
Hildo Duarte: “Com fé, trabalho e um sorriso nos lábios se consegue tudo o que se deseja”

Da redação

 


 

 

Hildo Pereira Duarte, mineiro, nascido em 4 de março de 1927, no Distrito de Barreado, Município de Rio Preto. Veio para Cambará aos seis anos de idade, com seus pais, Jeremias Pereira Duarte e Galeana Agustinha Duarte e os irmãos Maria José (casada), José, Clotilde, Hermínio, mais velhos, e Nila, mais nova. Acompanharam o Sr. Jeremias, além de sua família, cerca de 40 pessoas. Naquela época, precisamente em 1933, a viagem era demorada. Passaram por São Paulo, e nessa ocasião, o menino Hildo já demonstrou sua vontade de conhecer coisas novas; pegou na mão de sua irmã mais nova, Nila, e foram dar um passeio,  fato que causou preocupação ao grupo, mas as duas crianças se divertiram, foram encontradas e tudo acabou bem. Este fato teve uma simbologia: os dois nunca deixaram de se dar as mãos em qualquer tipo de situação.


                As doenças tropicais infestavam o município de Cambará naquela época e, em decorrência disso, a família sofreu com várias enfermidades. Foram muitas adversidades enfrentadas, as mais marcantes foram os falecimentos dos seus irmãos Clotilde (Cotinha) e Hermínio ainda muito jovens. Sua irmã Maria José mudou-se com a família para São Paulo. O irmão José se destacou como pintor de casas e posteriormente no ramo de vidraçaria na cidade de Ourinhos.


                Nila se tornou uma excelente professora. O menino Hildo tinha muita fé em dias melhores, sempre trabalhou para ganhar o seu próprio dinheiro. Conta que, com oito anos, vendia jornais e revistas- que oferecia às moças elegantes da cidade – inicialmente sob as orientações de Rosalvo Batista (Chic Chic), também era   engraxate e até vendia frangos. Um menino empreendedor, incluía outras crianças em suas atividades, como jornaleiro; saía de Cambará e viajava até cidades vizinhas para vender as suas mercadorias. O trabalho não o impedia de estudar, cursou o antigo primário no Grupo Escolar Dr. Generoso Marques, nem de brincar.


                

Sr. Hildo entre seus filhos(a partir da esquerda) Marise, Hildo Júnior,  Marilda, Nestor, Hildete

Certa ocasião, em uma de suas brincadeiras caiu de um balanço e feriu o couro cabeludo, cujos pontos foram dados pelo farmacêutico João Evangelista Barreiros (depois seu padrinho de casamento), que nesta ocasião profetizou que aquele menino iria progredir na vida. Aos 17 anos, para auferir melhor salário, foi trabalhar na Companhia Carbonífera do Cambuí, na cidade de Figueira (PR), de outubro de 1944 a dezembro de 1948, exercendo, primeiro, o penoso trabalho de mineração e em seguida no quadro administrativo, que conquistou demonstrando suas habilidades, pois sabia datilografar e estudava por correspondência no Instituto Universal Brasileiro. Além disto, dava aulas gratuitas de alfabetização para seus colegas.


                De volta para Cambará, trabalhou no Banco do Estado do Paraná S.A., a partir de outubro de 1949, iniciando também suas atividades de escrituração empresarial, no escritório do Sr. José Pedro Correa. Formou-se Técnico em Contabilidade na escola do Prof. Milton Ragalzi de Faria Ribeiro. Adquiriu o escritório em que trabalhava, logo no início da década de 50 e, daí por diante, incorporou, um a um, os outros escritórios de contabilidade, sendo durante algum tempo o contador de todos os comerciantes de Cambará.


                Casou- se no dia 25 de setembro de 1955 em Cambará. Sua esposa, Maria Orquilino Lisboa Duarte, uma mulher exemplar, com seu amor e dedicação colaborou imensamente nas suas conquistas. Tiveram 6 filhos, Nestor, Marilda, Marise, Hildete, Hildo

“Nosso pai com sabedoria nos ensinou os valores da amizade e do trabalho, estes valores têm guiado nossas vidas.Ele é nossa inspiração”

Júnior e Jeremias (natimorto). Nestor casado com Regina Marina Almeida Duarte que lhe trouxe os filhos Sidney, André e Rodrigo, todos advogados nascidos em Cambará, casados com moças cambaraenses e possuem os filhos Luís Felipe, Ana Luisa, Rafaela, Luís Henrique e Tiago. Hildo Júnior, casado com Rita Caracciolo Duarte, tem os filhos Juliana (Psicóloga), Rafael (cursando medicina) e Beatriz (frequentando o ensino fundamental). Grande foi a luta de Hildo Pereira Duarte, que sempre contou com sua dedicadíssima e amorosa esposa, também mãe exemplar, na companhia de seu pai e de sua irmã Nila, residentes na mesma casa de Cambará que tiveram fundamental contribuição na educação de seus filhos, assim como, sua sogra, Francisca que os visitava todos os dias, depois da missa.                  Deu sempre muito valor aos estudos. Com 12 anos de idade já sonhava com sua família e, conversando com um de seus clientes,  Sr. Gustavo Nunes Diniz, disse, muito confiante :”Vou crescer, vou casar e todos os meus filhos irão estudar”. Sua fé e determinação possibilitaram que todos os seus filhos cursassem uma faculdade: Nestor (Direito), Marilda (Química), Marise (Engenharia Elétrica) Hildete e Hildo Júnior (Medicina). Isso, seguramente, é seu maior orgulho.


                Sr. Hildo não parou no curso de Técnico de Contabilidade; formou-se por cursos à distância e frequência mais flexível, na época admitidos, em Economia, Ciências Contábeis e Direito. No entanto, sua paixão sempre foi o escritório de contabilidade. No fim da década de 50, passou a sede de seu escritório para a Avenida Brasil (antigo número 64),  anexo à sua residência, na Rua Domingos Villa.


                O escritório era movimentado e chegou a contar com trinta e dois funcionários, em seu amplo salão. Na época, era comum que as famílias solicitassem que seus filhos, ainda adolescentes, fossem trabalhar no escritório do “Sr. Hildo”, que era determinado em transmitir seus conhecimentos,  severo e disciplinador, e hoje sente muita alegria ao constatar o progresso de cada pessoa que passou pelo seu escritório.


                Ainda que sua paixão sempre fosse o seu escritório de contabilidade, ele também se dedicou à legislação tributária, e, especialmente, a previdenciária, formulando planejamentos de aposentadoria, com as necessárias contribuições para a previdência social, bem como, providenciando benefícios previdenciários aos doentes e inválidos, desde quando foram extintos os antigos institutos de aposentadoria, dando lugar ao INPS.  Aposentou sua esposa, uma das formas de reconhecer suas grandes virtudes: mãe amorosa e esposa exemplar. Quando da entrada em vigor do Estatuto da Terra, em 1964, alterando substancialmente as relações no campo, esmerou-se na elaboração de contratos de arrendamento e parceria, atuando em toda a região norte do Paraná. Não deixou de passar transitoriamente pelo serviço público, quando era prefeito seu colega de grupo escolar, Dr. Milton Paschoalino, atualizando os serviços contábeis e administrativos da Prefeitura.


                Embora com muita discrição, contribuiu significativamente na vida social de Cambará, sendo um dos fundadores do Clube Norte, pertenceu à Loja Maçônica Jacques de Molay e, principalmente, levou avante a luta do empresariado, sempre que necessário, por intermédio da Associação Comercial, que criou em 1963, cuja primeira sede foi no seu escritório, tendo como seu primeiro presidente seu inseparável amigo Sebastião Medeiros Hygino.     

        

                Adora festas, conta que em seu casamento, depois de distribuir os convites, ficou preocupado em ter se esquecido de algum amigo, decidiu então fazer o convite também pela rádio de Cambará.


               

Seu Hildo Duarte com Maria Orquilino Lisboa Duarte em foto registrada em 1997 em visita a sua cidade natal no Distrito de Barreado, Município de Rio Preto - Minas Gerais

 Ficou viúvo em 2001 e, hoje, reside permanentemente na capital de São Paulo, na companhia de suas filhas e de sua irmã, no mesmo apartamento que adquiriu para abrigar os filhos estudantes na capital. Viaja constantemente, no Brasil e no exterior. Sempre que possível visita Cambará, onde mantém intacta sua casa há cerca de sessenta anos. Este passeio é especial para ele pois tem a oportunidade de rever seus amigos e apreciar a paisagem desta cidade que tanto ama.


                Diz que agora sua vida é só divertimento, aos 92 anos que comemorou em um cruzeiro com destino à Argentina e Uruguai; faz pilates, tem aulas de canto e tem um encontro semanal com um grupo onde se diverte.   

      

Seus filhos têm um orgulho imenso deste pai que os ensinou a trilhar um caminho seguro, com amor, caridade, união, persistência e uma vontade enorme de vencer na vida, o que, de uma forma muito inteligente, indicou para eles.  Venceu todas as dificuldades, que para muitos seriam intransponíveis.


                O Sr. Hildo tem uma frase que resume o seu modo de atuar na vida: Com fé, trabalho e um sorriso nos lábios se consegue tudo o que se deseja.


Considera-se um homem feliz, conquistou muitas amizades pelas quais tem enorme gratidão; tem uma família unida, e excelentes lembranças.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias