sicredi 03
CBD 2020
SICREDI TOPO
CNSG 2020 TOPO
'Não é Não!'

Badoo se une ao coletivo 'Não é Não!' em campanha contra o assédio no Carnaval 2020

A rede social firmou parceria com coletivo 'Não é Não' e juntos vão distribuir mais de 200 mil tatuagens temporárias em 16 estados brasileiros

17/02/2020 14h35
Por: Nathália Bonhole

Lucas Nascimento



O Carnaval, maior festa popular do país, já está batendo às portas. E o Badoo, maior rede de descoberta social do mundo, se juntou ao coletivo “Não é Não” na missão de conscientizar todos a curtirem a folia com respeito.

 

Para isso, será realizada a distribuição de 210 mil tatuagens temporárias gratuitas pelas voluntárias do coletivo nos blocos de rua em 16 estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Sul, Goiás, Ceará e Maranhão), além do Distrito Federal.

 

As tatuagens terão dois desenhos: um com a mensagem “Não é Não” e o outro com a frase “Conexões Sinceras”, que marca a tagline da rede social. “Acreditamos que nossa mensagem casa muito bem com a mensagem do coletivo e que um Carnaval com respeito é um Carnaval com mais conexões sinceras”, diz Martha Agrícola, diretora de marketing do Badoo.

 

Para Martha, é de extrema importância apoiar uma iniciativa em prol das mulheres durante o carnaval. “É a maior festa brasileira e, como nós incentivamos a construção de conexões sinceras, sabemos que isso vem a partir do respeito, e não importa a ocasião. Por isso, nos unimos ao coletivo ‘Não é Não’ que irá nos ajudar a disseminar essa mensagem e a levar um carnaval sem assédio para todas nós, mulheres, Brasil afora”, comenta.

 

O ‘Não é Não’ fez uma campanha com 13 financiamentos coletivos na Benfeitoria para a produção de tatuagens para o Carnaval de 2020. Com a parceria do Badoo, foi possível dobrar a produção e criar uma cartela de tatuagens juntos. Também foi possível contribuir com o incentivo e o financiamento do coletivo para idas a escolas públicas ao longo do ano. Essa iniciativa faz parte do projeto de educação criado pelo “Não é Não” que leva o debate sobre assédio às mulheres para as/os estudantes.

 


Para o coletivo, contar com o apoio do Badoo durante o carnaval é essencial para reeducar a sociedade. “Nosso projeto é um movimento de reeducação, e nada melhor do que estar em um aplicativo de relacionamentos para esclarecer a todas e todos os usuários sobre assédio contra a mulher”, comenta Aisha Jacob, co-fundadora do Coletivo Não é Não.

 

As iniciativas do app contra o assédio são constantes ao longo do ano todo. “Os esforços do Badoo contra o assédio vão muito além da época de folia. Vamos lançar muito em breve a ferramenta ‘Detector de Privacidade’, que reconhece ‘nudes’ enviadas no chat e dá ao usuário a escolha de querer vê-las ou não. “Buscamos sempre orientar e ensinar nossos membros de que o respeito e a sinceridade devem sempre vir em primeiro lugar”, explica Martha.

 

A campanha também estará online

 

Para propagar ainda mais a mensagem de conscientização, o Badoo está produzindo conteúdos audiovisuais em parceria com criadores de conteúdo que serão lançados em suas redes sociais durante o pré-carnaval. No Instagram, a marca vai lançar um filtro com o coletivo “Não é Não”, levando a conscientização da campanha para a rede social.

 

No próprio aplicativo do Badoo, serão divulgados materiais com dicas e orientações, criados em parceria com o coletivo. “Nossa ideia é compartilhar uma mensagem de educação e respeito para que todos possam curtir o Carnaval do melhor jeito”, explica Martha.

 

 

Sobre o Badoo
 

O Badoo é a maior rede de descoberta social do planeta, com mais de 460 milhões de usuários em todo o mundo. O Badoo faz parte do grupo de empresas de redes sociais MagicLab, criada por Andrey Andreev, hoje presidida por Whitney Wolfe Herd, que opera em 190 países e está disponível em 47 idiomas diferentes. O Badoo tem escritórios principais no centro de Londres e Moscou e emprega mais de 500 pessoas em todo o mundo. A rede está disponível no iOS, Android e na Web.

 

 

Sobre o ‘Não é Não’
 

O “Não é Não” começou em 2017 no Rio de Janeiro com uma campanha de conscientização e combate ao assédio com a distribuição de tatuagens temporárias com a frase “Não é Não”. O movimento cresceu com o envolvimento de mais mulheres, formando uma rede ainda mais forte e mais diversa. Para 2020 realizaram o financiamento coletivo em 13 estados e terão tatuagens sendo distribuídas gratuitamente em 16 estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Sul, Goiás, Ceará e Maranhão), além do Distrito Federal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.