Sexta, 25 de Setembro de 2020 20:38
43 9 9937 4574
COTIDIANO DECRETO

PREFEITO DE CAMBARÁ DECRETA FECHAMENTO DO COMÉRCIO POR UMA SEMANA

O não cumprimento das medidas previstas no Decreto, implicará multas que variam de R$ 500,00 à R$ 10 mil, e a cassação do alvará de funcionamento.

21/03/2020 08h18 Atualizada há 6 meses
Por: Carlos Roberto Francisquini Fonte: C.Roberto Francisquini
Prefeito de Cambará José Salim Haggi Neto se reúne com membros do Comércio de Cambará - Foto: Graça Maria
Prefeito de Cambará José Salim Haggi Neto se reúne com membros do Comércio de Cambará - Foto: Graça Maria

Uma semana, este é o prazo firmado entre a prefeitura e a Associação Comercial de Cambará para o fechamento do comércio local em apoio as ações de prevenção a pandemia do novo coronavírus que se espalha pelo país.

As duas entidades se reuniram na tarde desta sexta-feira e chegaram ao consenso de que o prazo de 7 dias pode ser prorrogado caso haja alteração no quadro de infestação do covid-19 na região. O prefeito já havia decretado Situação de Emergência em Saúde Pública, em Decorrência da Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (COVID 19 na última terça-feira, 17 de março.

De acordo com uma nota divulgada em sua rede social, o Prefeito de Cambará, José Salim Haggi Neto, classificou a situação de atípica e afirma que a decisão pelo fechamento do comércio é conjunta. “Vamos nesta semana fazer uma avaliação da situação, que para todos nós é atípica, mas que necessita de decisões conjuntas para atravessarmos. Com o fechamento de lojas, empresas, restaurantes, bares e lanchonetes, entre outros setores do comércio, esperamos reduzir drasticamente o número de pessoas circulando na cidade, afastando assim, o risco de transmissão do vírus da COVIT 19”, diz a nota.

A reunião desta sexta contou com representantes do comércio, da câmara de vereadores, do Secretário de Saúde local, membros do jurídico da prefeitura e foi conduzida pelo prefeito da cidade. Pelo decreto, o fechamento do comércio de Cambará passa a valer à partir de 00 hora de segunda-feira, 23 de março e se estende até o dia 29.

O novo Decreto, de nº 2.456 seguirá o padrão de outros municípios, que mantém comércios essenciais abertos.

 

Confira o que abre durante o decreto

 

Postos de Combustível, Farmácias, Laboratórios, Supermercados e Mercados, Sacolões, Padarias, Distribuidores de Água e Gaz, Segurança Pública e Privada, Processamento de Dados Ligados a Serviços Essenciais, Tratamento e Abastecimento de Água, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia, Bancos e Lotérica, Serviços Funerário, Serviços de Guincho e Borracharias.

 As agências bancárias na cidade, já estão restringindo em duas pessoas por vez a entrada nos estabelecimentos. Os supermercados também serão orientados a restringir o número de pessoas dentro dos estabelecimentos.

 

  

Feirantes - O prefeito Neto Haggi informou, que conversou com os comerciantes das Feira Livre, que ocorre toda sexta-feira pela manhã ao lado da Praça Dr. Miguel Dinizo, e Feira da Lua na segunda-feira, e já suspenderam os eventos na próxima semana.

O secretário Francisco Peres, lembrou aos comerciantes que a medida poderá ser estendida por um tempo maior, se houver agravamento da situação de emergência.

 

Multas por descumprimento 

De acordo com o decreto o não cumprimento das medidas previstas no Decreto, implicará multas que variam de R$ 500,00 à R$ 10 mil, e a cassação do alvará de funcionamento.

 

Agradecimentos - Ainda, de acordo coma a nota, o prefeito teceu agradecimentos a comunidade religiosa da cidade, igrejas católicas e evangélicas que suspenderam seus cultos e missas  e disse que espera a mesma atitude dos comerciantes da cidade. “Essa decisão é pela preservação da vida humana. Espero poder contar com a compreensão de todos nossos comerciantes, da mesma forma que os padres e pastores das igrejas católicas e evangélicas, e também da direção de nossas Escolas particulares, que já aderiram ao fechamento de seus estabelecimentos”, finaliza.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias