Sábado, 25 de Setembro de 2021 00:48
43 9 9937 4574
COTIDIANO Quarentena

Comércio de Cambará mantém quarentena por mais uma semana

Decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira

27/03/2020 19h04 Atualizada há 1 ano
Por: Carlos Roberto Francisquini Fonte: C.Roberto Francisquini
Prefeito de Cambará José Salim Haggi Neto e Ana Paula Pelozo Alberti - Presidente da ACEC
Prefeito de Cambará José Salim Haggi Neto e Ana Paula Pelozo Alberti - Presidente da ACEC

Está decidido, a Prefeitura e a Associação Comércio de Cambará decidiram por manter a quarentena por mais uma semana. A decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira (27), na sede do executivo local.

Participaram da reunião membros da diretoria, comerciantes associados e também não associados da ACEC.  A Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cambará, Ana Paulo Pelozo Alberti, contou, por telefone, que havia a expectativa de que os comerciantes sairiam da reunião com a autorização de abrir o comércio a partir da segunda-feira (30). 

“Fizemos a votação e a maioria definiu pelo fechamento do comércio por mais uma semana”, contou a presidente. Ana Paula disse que não haverá mudança no novo decreto em relação ao vigente. “Não muda nada”, informou.

A presidente adiantou que participaram da reunião integrantes da secretaria de saúde e abordaram a importância de se manter o decreto por mais tempo. Segundo Ana Paula a prefeitura e a secretaria de saúde estão montando uma estrutura para atender possíveis casos de forma isolada.

 

 A reunião durou quase duas horas e ficou definido por voto da maioria, que se prorrogasse o decreto por mais sete dias.

Prefeito vetou a participação da imprensa na reunião e falou para o público via live no facebook no final da reunião.

 

O Prefeito disse durante a live no facebook que a medida visa prevenir que o vírus se propague na cidade. “Estamos defendendo a vida das pessoas e agradecemos a compreensão de todos”, disse na transmissão. Neto também aproveitou a audiência para atacar o papel da imprensa, sob a alegação de que está se  usando a gravidade do problema para fazer politicagem. 

 

Deselegância

O prefeito barrou a entrada da imprensa presente no horário para acompanhar este que já é considerado o mais sério acontecimento público da história de Cambará.

Não havia motivos para isto, inclusive despertou estranheza nos comerciantes presentes. Ele deve ter se esquecido que nunca na história recente do município o comércio havia ficado tanto tempo paralisado e impactado tanta gente como agora. O Prefeito talvez não deva ter percebido que ele é um agente público e que é neste momento sensível em que todos estão unidos e preocupados com a situação, que a comunidade precisa ser informada sem distorção. O prefeito simplesmente ignorou um direito do cidadão. Ao fechar um espaço público para a atuação da imprensa livre, por divergir da linha editorial é no mínimo uma infantilidade política. Nunca fechamos as portas para a prefeitura de Cambará seja ela administrada por quem quer que seja. Assunto público é do público.

O jornal Circulando está há mais de 15 anos atuando em Cambará e sempre esteve aberto aos acontecimentos públicos da cidade, inclusive passamos pelos dois primeiros mandatos de José Salim. 

O prefeito, com sua visão vesga, não barrou apenas os veículos de imprensa, ele ignorou o principio básico da informação, especialmente num momento de principio de caos como este. 

 

O alcaide paradigmático age como aprendiz de ditador, uma espécie de ser humano que não tolera ser questionado, que adora bajulação e manter o povo de joelhos, infelizmente.

Mas até isto nós vamos superar. Um dia vamos superar. 

 Perdoe a franqueza, caro leitor!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias