Segunda, 06 de Julho de 2020 22:55
43 9 9937 4574
VIDA PÚBLICA VIDA PÚBLICA!

ROGÉRIO FRUTUOSO DEFENDE SALÁRIO DE R$ 6MIL PARA VEREADORES

“Não é demagogia e nem ofensa falar a verdade”, afirmou o vice-presidente da Câmara local sobre o polêmico requerimento que pede salário mínimo para os edis

02/06/2020 16h24
Por: Carlos Roberto Francisquini Fonte: C.Roberto Francisquini
Rogério Frutuoso (DEM) é vereador e Vice-Presidente da Câmara Legislativa de Cambará
Rogério Frutuoso (DEM) é vereador e Vice-Presidente da Câmara Legislativa de Cambará

O Vereador e Vice-Presidente da Câmara Legislativa de Cambará, Rogério Frutuoso (DEM), anunciou na manhã desta terça-feira (02), durante participação ao vivo no programa Circulando, que defende o salário de R$6mil para os vereadores de Cambará. Rogérinho do Karatê como é mais conhecido, disse que seria demagogia afirmar ao contrário, tendo em vista as responsabilidades atribuídas ao vereador.

 

O parlamentar lembrou que o vereador é um fiscalizador da coisa pública e vê com reticências as tentativas de tentar diminuir as reponsabilidades do legislador. “Estou há quatro mandatos como vereador e sei das nossas responsabilidades das nossas decisões, então penso que a remuneração é justa”, contou.

Rogérinho é o segundo vereador a defender a manutenção dos atuais subsídios recebidos pelos nove vereadores. O primeiro a se manifestar foi o vereador Gil dos Anjos.

O caso veio a tona depois que o comerciante Douglas Schiavos lançou a campanha para reunir assinaturas da comunidade para juntar a um requerimento que seria ingressado na Câmara pedindo a redução dos atuais R$6mil para uma salário mínimo para cada vereador.

Douglas disse ter reunido mais de 1,300 assinaturas, mas estranhamente não as anexou ao requerimento, o que pode inviabilizar a iniciativa.

O caso gerou grande repercussão na cidade e divide opinião.

Há quem defenda a redução dos valores dos ordenados dos vereadores sob a alegação de que seria uma economia substancial para o município, tendo em vista que são apenas duas horas semanais que eles se reúnem. Porém, há quem defenda que não é o salário do vereador que é o problema, mas sim a qualidade dos serviços que prestam. Não é preciso procurar muito nas mídias sociais opiniões do tipo, “Tem vereador que nem fala durante a sessão, e tem alguns que falam, mas pelas coisas que expõem, seria melhor ficar quietos”, são apenas alguns argumentos das vozes que vem das ruas.

O índice de insatisfação com a classe política pode levar uma grande renovação no parlamento local nas eleições deste ano.

“Penso que Cambará precisa mudar e este seria um bom momento para promovermos as mudanças esperadas a começar com a nossa mentalidade política”, comentou um internauta.

A reportagem do Circulando vai tentar ouvir os demais membros da Câmara para saber quais são as impressões que cada vereador tem sobre o requerimento que pede a redução dos salários.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias