Segunda, 13 de Julho de 2020 15:31
43 9 9937 4574
CIDADES RESPEITO É BOM!

COMERCIANTE DE CAMBARÁ RELATA ATOS DE AGRESSÃO E DESRESPEITO

“Nunca na minha vida imaginei passar por isto, é o lado mais dolorido e desumano desta pandemia”, resume Marcos Pavan

11/06/2020 23h32 Atualizada há 1 mês
Por: Carlos Roberto Francisquini Fonte: C.Roberto Francisquini
Marcos Pavan - “Sempre pautamos nosso atendimento pela higiene e pelo respeito a nossos clientes e assim vamos seguir adiante. Estamos apreensivos pelos avanços do vírus na nossa cidade e faremos o que for necessário para ajudar a vencer esta situação”
Marcos Pavan - “Sempre pautamos nosso atendimento pela higiene e pelo respeito a nossos clientes e assim vamos seguir adiante. Estamos apreensivos pelos avanços do vírus na nossa cidade e faremos o que for necessário para ajudar a vencer esta situação”

Desde que a notícia de que uma comerciante teria testado positivo para covid-19 no início da semana em Cambará, este se tornou o principal assunto na cidade. A paciente é irmã do comerciante Marcos Pavan, que atua no ramo de distribuição de hortifrúti na cidade.

A convite da reportagem, Marcos Pavan esteve na redação do Jornal Circulando na manhã desta quinta-feira (11) para comentar o caso e fez uma revelação comovente. Segundo ele o maior problema neste momento não é lidar com a situação do vírus em um integrante da família, o problema é outro. “Graças a Deus ela está bem, está sendo monitorada, está em isolamento como manda as recomendações da Secretaria de Saúde e logo vai superar isto, mas o que mais está machucando é a agressão por parte de algumas pessoas”, relata Pavan.

Ele contou que está sentindo na pele o lado perverso do preconceito. “Nunca na minha vida imaginei passar por isto, é o lado mais dolorido e desumano desta pandemia”, comentou.

Marcos Pavan disse que o episódio mexeu com a rotina da empresa, mas afirmou que as medidas de segurança foram mantidas.

Ele afirmou que seguiu todas as recomendações dos órgãos de segurança assim que soube que sua irmã estava apresentando os primeiros sintomas. A primeira medida foi afastar das atividades a sua irmã e os demais funcionários do sacolão, em seguida, promoveu a higienização completa como medida de segurança e trocou todos os funcionários. “Eu trabalho com alimentos, estou no CEASA semanalmente e lá seguimos um rígido controle de higiene e limpeza. Neste momento em que vivemos a pandemia, isto ficou ainda mais rigoroso para levar segurança para a população. Então, quando surgiu os primeiros sintomas já decidi afastá-la das atividades antes mesmo do teste oficial”, contou Pavan. “Tudo para preservá-la e também preservar a todos que por ventura viesse a ter contado com ela”, acrescentou.

Atendimento

Marcos Pavan disse que o atendimento em suas empresas segue todas as medias de segurança possível e continuará a oferecer produtos de qualidade aliado a atendimento seguro e respeitoso.

“Sempre pautamos nosso atendimento pela higiene e pelo respeito a nossos clientes e assim vamos seguir adiante. Estamos apreensivos pelos avanços do vírus na nossa cidade e faremos o que for necessário para ajudar a vencer esta situação”, finalizou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias