Sábado, 25 de Setembro de 2021 00:00
43 9 9937 4574
AUTOS & CIA Dia da Criança

Detran aponta os erros mais comuns no trânsito

O número de crianças, entre 0 e 17 anos, vítimas fatais de acidentes de trânsito no Paraná cresceu 14% entre 2015 e 2016.

10/10/2017 11h00
Por: Carlos Roberto Francisquini
Detran aponta os erros mais comuns no trânsito

AEN


 

O número de crianças, entre 0 e 17 anos, vítimas fatais de acidentes de trânsito no Paraná cresceu 14% entre 2015 e 2016. Foram 99 mortes só no ano passado. Os dados são do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) e apontam que a falta dos dispositivos de segurança ou a utilização inadequada para cada idade e tamanho podem prejudicar a segurança das crianças.


"O uso das cadeirinhas torna mais seguro o transporte das crianças, mas de nada adianta se o uso for feito de forma inadequada. Por isso, é importante que os pais tomem todos os cuidados e não tenham pressa na hora de encaixar as crianças aos dispositivos. São detalhes simples que fazem toda a diferença", explica o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.


USO INADEQUADO DA CADEIRINHA – Segundo a Coordenadoria de Programas Educativos do Detran, entre os erros mais comuns está o uso de almofadas de encosto para a cabeça, sem a devida proteção do pescoço e crânio.


“A parte mais vulnerável na criança é a cabeça, que é relativamente maior em proporção aos demais membros do corpo. Movimentos bruscos e intensos da cabeça e do pescoço, para frente e para trás, podem provocar graves lesões nessa região com maior frequência do que no adulto. Por isso, para cada idade e tamanho o uso do dispositivo de segurança já é suficiente”, diz a coordenadora de Programas Educativos, Caroline Andreatta.


O bebê-conforto, por exemplo, é direcionado aos bebês com ou até um ano de idade. Já aquelas com idade superior a um ano e inferior ou igual a quatro anos devem ser transportadas em cadeirinha. De quatro a sete anos e meio devem usar o assento de elevação e, a partir de dez anos (com mais de 1,45 m), já podem utilizar o cinto de segurança e ser transportadas no banco da frente.


INSTALAÇÃO INCORRETA – Antes de comprar a cadeirinha é preciso se certificar de que o equipamento possui selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Procure ler o manual de instrução da cadeira de segurança e do veículo cuidadosamente para uma instalação correta.


Prenda firmemente a cadeirinha ou suporte de segurança no cinto e tenha certeza de que ele esteja passando no local adequado/correto da cadeirinha. Além disso, a cadeirinha não deve mover-se mais que 2 cm de um lado para o outro.


Ajuste as tiras da cadeirinha de segurança ao tamanho da criança, com folga de um dedo entre o corpo dela e a tira. Cadeiras de segurança quando instaladas e usadas corretamente diminuem os riscos de morte até 71%. E em casos de crianças com até quatro anos, a necessidade de hospitalização reduz em 69%.


Os bebês ainda devem ser transportadas no banco detrás do carro de costas para o motorista. Colocar uma criança menor de 1 ano de idade ou com menos em uma cadeira de segurança voltada para o vidro da frente é extremamente perigoso e proibido por lei.


INFRAÇÃO – De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) transportar crianças em veículo automotor sem observância das normas de segurança é infração gravíssima, gera 7 pontos na carteira de habilitação e uma multa de R$ 293,47. Além disso, o veículo pode ser retido até que a irregularidade seja corrigida.

 

Publicidade 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias