CBD 2020
SICREDI TOPO
CNSG 2020 TOPO
Vacina

Vacina de Pneumo pode minimizar complicações de saúde no cenário de COVID-19

Médicos da DASA alertam que coronavírus afeta o sistema imunológico deixando o paciente suscetível a outros problemas respiratórios

08/05/2020 14h36Atualizado há 3 semanas
Por: Nathália Bonhole
Fonte: Barbara Conti
Com o novo coronavírus, a pneumonia volta a preocupar por causar, em estados mais graves, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS)
Com o novo coronavírus, a pneumonia volta a preocupar por causar, em estados mais graves, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS)
Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 2.000 mil pessoas morrem diariamente por pneumonia no mundo. No Brasil, a taxa de mortalidade da doença estava em queda de 25,5% entre 1990 e 2015, segundo o Ministério da Saúde. Com o novo coronavírus, a pneumonia volta a preocupar por causar, em estados mais graves, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

Para Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart, que integra a Dasa - líder em medicina diagnóstica no Brasil e quinta maior do mundo no setor - o cenário impõe a necessidade de ampliação de imunização de diferentes doenças. "Com sintomas similares aos da pneumonia (febre alta, tosse seca e dificuldade de respirar), a COVID-19 afeta o sistema imunológico deixando o paciente suscetível a outras contaminações bacterianas. Inúmeros casos de pneumonia necessitam de internação, com uso de respiradores, recursos muito disputados frente a pandemia. A vacinação ajuda a minimizar quadros preveníveis, como o de pneumonia e a sinusite, reduzindo o número de pessoas doentes neste momento permitindo focar recursos na pandemia", explica Myrna.

A pneumocócica conjugada 13 previne contra pneumonia, meningite, sinusite e otite causada por 13 sorotipos, que é indicada para crianças, adolescentes e adultos. Os laboratórios da Dasa notaram um grande aumento de procura comparado com o mesmo período do ano anterior. Em abril de 2019, no laboratório Frischmann foram aplicadas 139 doses da vacina pneumo 13, já em abril de 2020, após o anúncio da pandemia, foram contabilizadas 3.620 doses. "A expectativa é que a procura pela vacina aumente ainda mais. População imunizada ajuda a desafogar o sistema de saúde do país em relação às complicações preveníveis. Isso impacta na redução da disputa por leitos hospitalares, por exemplo, melhorando os serviços de saúde neste momento tão importante", comenta Myrna.

Sobre a Dasa

A Dasa é líder em medicina diagnóstica no Brasil, maior empresa do setor na América Latina - atua no Brasil e na Argentina - e 5ª maior no mundo, com foco em análises clínicas, diagnóstico por imagem e medicina genômica. A companhia conta com um time de mais de 20 mil colaboradores e 2 mil médicos, renomados no Brasil e no exterior, que atuam em uma rede robusta e capilarizada de cuidados com a saúde em todo o país. Por meio de suas mais de 40 redes de laboratórios distribuídas em cerca de 800 unidades - como Delboni Auriemo e Salomão Zoppi (SP), Sérgio Franco e CDPI, (RJ), Laboratório Exame (DF), entre outros -, a Dasa realiza mais de 250 milhões de exames por ano.

Considerado um dos mais importantes players de Saúde, a Dasa atua com o propósito de impactar positivamente a saúde das pessoas e tem como compromisso ser um agente de conexão do setor por meio de uma medicina mais inteligente, preditiva e personalizada. Em novembro de 2019 a empresa anunciou a união com a Rede Ímpar, segunda maior rede independente de hospitais do Brasil, que reúne hospitais como 9 de Julho (SP), Santa Paula (SP), São Lucas (RJ), CHN (RJ), Hospital e Maternidade Brasília (DF) e Hospital Águas Claras (DF).
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.