SICREDI TOPO
CNSG 2020 TOPO
CBD 2020
Live

Apesar da pandemia, Paraná mantém logística eficiente da lavoura ao porto

Sistema logístico estadual bateu recordes de movimentação no primeiro quadrimestre deste ano e permitiu o escoamento da safra recorde

11/05/2020 14h04
Por: Nathália Bonhole
Fonte: FAEP
O ano de 2020 começou com recordes expressivos para o Paraná
O ano de 2020 começou com recordes expressivos para o Paraná

O ano de 2020 começou com recordes expressivos para o Paraná. Com a colheita praticamente encerrada, a safra de grãos 2019/20 chegou à marca histórica de 20,7 milhões de toneladas, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab). Tão importante quanto ter eficiência na produção e na colheita é ter um sistema logístico capaz de escoar os produtos agropecuários, seja para o mercado interno, seja para a exportação. E neste sentido, o Estado também fez bonito, atingindo marcas sem precedentes. 

“O sistema logístico do Paraná é muito bom em relação ao restante do país. Temos um porto eficiente, todo o Estado pavimentado e com asfalto de qualidade, embora algumas regiões precisem de duplicação. A preocupação é ampliar a malha de transporte ferroviário”, diz o consultor de logística da FAEP, Nilson Hanke Camargo.

O corredor de exportação do Estado vem funcionamento muito bem, como comprovam os números. O Porto de Paranaguá fechou abril com a maior movimentação mensal de sua história: 5,5 milhões de toneladas embarcadas – 30,9% maior que no mesmo mês de 2019. De janeiro a abril, o volume também impressiona: 18,8 milhões de toneladas. Quase um terço desse volume – 5,8 milhões de toneladas – corresponde a carga de soja, o que atesta que essa movimentação intensa tem relação direta com a supersafra de grãos. Só em abril, o porto recebeu mais de 59 mil caminhões em seu pátio de triagem, sem que houvesse formação de filas na rodovia. 

“Conseguimos atender a essa demanda perfeitamente, mostrando ao mercado que temos condições de atender a um volume maior, com a nossa qualidade já reconhecida”, ressalta o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. “A logística se mostrou eficiente, seguindo a condução que o governo vem dando, para que tenhamos um movimento ordenado, em que nenhum ponto falhe”, acrescenta. 

A Ferroeste – Estrada de Ferro Paraná Oeste – também fechou abril com desempenho histórico. A companhia bateu recorde de movimentação do volume transportado da região Oeste, com 160 mil toneladas transportando – ultrapassando o recorde anterior, registrado em abril de 2019, quando 115 mil toneladas haviam sido movimentadas. O maior volume transportado foi de soja e contêineres refrigerados com frango. No quadrimestre – de janeiro a abril – a movimentação chegou a 380 mil toneladas: 53% mais em relação ao mesmo período do ano passado. 

Gargalos 

Projeções do governo federal apontam que, dentro de uma década, o volume embarcado anualmente pelo Porto de Paranaguá deve saltar de 53 milhões de toneladas para 65 milhões de toneladas. Para que a operação continue sendo eficiente, os especialistas apontam que algumas otimizações devem ser feitas. Hanke Camargo destaca a necessidade da ampliação da malha ferroviária do Paraná e a criação de mais um ponto de acesso ao Porto de Paranaguá. 

“Precisamos resolver a interligação ferroviária entre Guaíra e Cascavel e, principalmente, priorizar o transporte por trens, para que possamos escoar a nossa produção de forma mais eficiente”, pontua o consultor da FAEP. 

“Precisamos nos preparar para esse aumento que deve ocorrer em dez anos. Alguns ajustes precisam ser feitos. Hoje, 75% do que são embarcados no Porto de Paranaguá chegam por via rodoviária. Não podemos manter a matriz logística de chegada em 75% rodoviário e 25% ferroviário. Temos que melhorar essa distribuição”, afirma Garcia.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.